segunda-feira, 5 de setembro de 2011

MLST chega a Brasília para apresentar projeto de Empresa Agrícola Comunitária

Depois de cruzar dez cidades em 15 dias atravessando a pé o estado de Goiás por quase 250 km, a Marcha da Reforma Agrária do Século XXI chegou nesta segunda-feira (05/09) a Brasília. Os mais de mil trabalhadores e trabalhadoras rurais de dez estados da Federação fizeram o percurso de Goiânia (GO) a capital Federal, e ficam acampados até sexta-feira (09/09) no Parque da Cidade, onde forma recebidos por parlamentares, sindicatos e movimentos sociais.  Assim como fizeram nos dez municípios do trajeto que caminharam desde o dia 21 de agosto, os militantes participam em Brasília de seminários e debates sobre agroecologia, índices de produtividade da terra e empresas agrícolas comunitárias – principal proposta da mobilização apresentada ao governo. A Marcha possui diversas agendas governamentais confirmadas até o fim da semana, em que negociarão sua pauta de reivindicações, e participa no dia 7 de setembro do Grito dos Excluídos.






A longa jornada, convocada e organizada pelo Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST), tem o objetivo de colocar na pauta do governo federal e da sociedade uma reforma agrária no país com uma concepção atualizada, cuja principal proposta é a implementação de Empresas Agrícolas Comunitárias (EAC). Elas constituem uma alternativa política e socioeconômica, e inclusive cultural, para o atual modelo de assentamento de reforma agrária e a agricultura familiar no Brasil.

O Programa Brasil Sem Miséria do Governo do governo federal tem três eixos de ações: transferência de renda; acesso a serviços públicos e inclusão produtiva. De acordo com a coordenadora nacional do MLST, Vânia Araújo, “a reforma agrária é a única política capaz de atender esses três requisitos porque gera trabalho e renda dinamizando o mercado local; viabiliza o acesso as políticas públicas e aumenta a produção de alimentos e matérias primas nas regiões em que se instalam. Os assentamentos de reforma agrária, a agricultura familiar e comunitária, junto com os pequenos produtores rurais cumprem um papel estratégico para alcançar esse objetivo”.

REUNIÕES CONFIRMADAS ENTRE O MLST E O GOVERNO FEDERAL:

Durante os dias da Marcha o MLST apresentou sua pauta nacional de propostas ao governo que inclui diferentes ministérios e órgãos federais. Até esta segunda-feira à noite (05/09) estavam confirmadas as seguintes reuniões:

  • Ministro do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence – Terça feira (06/09), na sede do MDA, às 9h.
  • Presidente do INCRA, Celso Larcerda – Quinta-feira (08/09), na sede do Instituto, às 9h.
  • Diretor-presidente da ANVISA, Dirceu Barbano – Sexta-feira (09/09), na sede da Agência, às 8h
A pauta nacional geral do MLST que está em discussão com o governo está disponível no website da Marcha da Reforma Agrária do Século XXI no link:

TWITTER: @marchamlst21
FACEBOOK: marcha.mlst
EMAIL: marchaseculo21@gmail.com
FONE: 81- 9197 0077 / 81-9934 5189 (assessoria de imprensa)
FOTOS: picasaweb.google.com/107212933358361519768

Nenhum comentário:

Postar um comentário